15/03/2017 - 10:28

Piloto que fez “rasante” no Corso de Teresin continua com licença para voar

Menos de um mês depois de fazer um voo rasante, colocando em risco mais de 300 mil pessoas que brincavam o Corso, na Avenida Rual Lopes, no dia 18 de fevereiro em Teresina, uma tragédia que seria mundial, o piloto Jaime das Chagas Oliveira Júnior, já voltou a pilotar normalmente pelo céu do Brasil.

11

A própria página da Agência Nacional da Aviação Civil já disponibiliza, em sua consulta, informações de que Jaime está habilitado como piloto capacitado para voar.

Jaime fez voos rasantes muito abaixo do permitido. Um amigo dele que estava na aeronave filmou tudo e divulgou nas redes sociais. O plano de voo para zonas urbanas habitadas só é permitida altitude a partir de até mil pés, ou seja, 300 metros de altitude.

No caso do avião pilotado por Jaime, eles estavam a uma altura de, no máximo 80 metros. Chegou a passar quase tocando na Ponte Estaiada, onde, logo abaixo, uma multidão se divertia no Corso de Teresina.

12

A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) informou que interditou a aeronave que fez o voo rasante, três dias depois, e cancelou o brevê do piloto. Jaime Oliveira Júnior tinha (na época) ainda que pagar R$ 50 mil de multa.

Na página da Anac, nesta terça-feira (14/03), além de mostrar Jaime perfeitamente habilitado, consta ainda ele sem nenhuma multa, com certidão negativa para débito.

Veja abaixo o vídeo:

Mais Notícias

Comentários