13/03/2017 - 15:24

Colunista social será investigado acusado de apologia ao estupro de criança

O colunista social Mauro Veras deverá responder na Polícia acusação de apologia ao estupro de criança. O crime teria sido praticado em uma postagem de Mauro Veras em sua página no Facebook, que posteriormente foi apagada. Mauro postou que a criança de 11 anos, grávida após ser estuprada durante vários anos pelo padrasto, “queria e gostava” e que não sofreu estupro.

10

Na postagem, o colunista social fez duas observações: “primeiro, três anos transando, ao meu ver não é mais estupro; ela gostava e queria. Segundo, Por que doar a criança? Se não é filha de estranho, tem que ser criada pela família com ela se transformando em mãe..”.

Com a repercussão imediata do comentário, o post de Mauro Veras foi apagado, no entanto, vários print’s foram feitos e compartilhados, até chegar ao Ministério Público Estadual e a juíza da Vara da Infância e da Juventude.

A conselheira tutelar Socorro Arraes acha que Mauro Veras foi infeliz no comentário. “Se trata de uma criança do Maranhão, que há 3 anos vinha sendo estuprada pelo padrasto e, infelizmente, agora está grávida. Dizer que criança gosta de ser estuprada, ele foi infeliz neste comentário”.

A reportagem do Portal AI5 conversou na tarde desta segunda-feira (13/03) com o colunista Mauro Veras. Ele disse que na realidade tudo não passa de um mal entendido. “Eu quis foi questionar que esse tempo todo a criança sendo estuprada e a mãe não percebeu. Talvez eu tenha me expressado mal. Logo eu que defendo tanto a família e seus valores. Tanto que na hora que a primeira pessoa comentou criticando, eu deletei a postagem”.

Veja abaixo a publicação de Mauro Veras:

estupro-menor-4

Mais Notícias

Exibição 1 Comentário
Opine
  1. Baruc disse:

    A Bíblia diz que a boca fala daquilo que o coração está cheio, ou seja, é exatamente isso que esse elemento pensa a respeito do caso.

Comentários