14/03/2017 - 14:05

Associação dos Criminalistas luta para aprovar porte de armas para advogados

Advogados de todo o país estão se mobilizando na tentativa de pressionar a Câmara dos Deputados a aprovar a PEC que os autoriza a portar arma, igualmente a magistrado e membro do Ministério Público. No Piauí, a Associação dos Advogados e Defensores Criminalistas do Estado “encampa” o movimento.

_mg_7857-copy

“É constitucional. Magistrado, promotor e advogados são iguais. Todos sentam a mesma mesa, mas somente o advogado não tem o direito ao porte de arma. Essa PEC é somente a defesa da isonomia”, argumenta Aroldo Vasconcelos, presidente da Associação dos Criminalistas.

Albelar Prado, do comitê de relações públicas da Associação dos Advogados e Defensores Criminalistas do Piauí, alerta que os profissionais que atuam na área criminal estão mais expostos ao risco de vida. “Há poucos anos mataram um colega nosso dentro do próprio escritório em Barras; outro foi assassinado na porta de casa nas proximidades do Promorar. Há pouco tempo também outro criminalista sofreu um atentado na zona sul. Teve ainda outro assassinado de mais um colega quando vendia um apartamento no Morada do Sol”, contabiliza.

O criminalista Antônio Sarmento, da comissão de prerrogativas da associação, observa que os magistrados e representantes do Ministério Público incluíram em suas leis o porte de arma. “É o mesmo que estamos fazendo agora”.

Os deputados Alberto Fraga e Ronaldo Benedet são os responsáveis pelo projeto, que já foi aprovado nas comissões de segurança pública e de constituição e justiça. “Resta apenas ir a plenário”, acrescenta Aroldo Vasconcelos.

No Piauí, 15 mil advogados inscritos na OAB deverão ser beneficiados com o porte de arma, caso ele seja aprovado.

Mais Notícias

Comentários